Sign In

Sabotagem pode deixar Fortaleza sem energia

Sistema Chesf Publicado em 17/09/2021

Desde o início deste ano, cerca de 120 torres de transmissão das linhas de transmissão de 230kV e 500kV da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), que interligam Sobral a Fortaleza, no Ceará, vêm sendo sistematicamente sabotadas com a retirada de peças metálicas estruturais. O trecho entre Pentecoste e a Capital é o mais atingido. Na região, o volume de material retirado é equivalente ao peso de uma torre de transmissão por mês e representa um grande risco de queda de torres e de desabastecimento de energia elétrica para a Capital, Região Metropolitana e cidades interioranas.

 

No dia 9 de maio, uma torre chegou a tombar na rodovia CE 401 em decorrência destas ações de sabotagem, causando riscos de acidentes grave inclusive para a população circunvizinha. Além de recompor a linha de transmissão no menor tempo possível, a Companhia acionou a polícia estadual, federal e a Agência Brasileira de Inteligência, a Abin, para acompanhar o caso.

 

"Essa ação é claramente um ato de sabotagem pois quem está fazendo essa retirada de peças tem experiência com esse tipo de atividade e tem conhecimento que o resultado da ação é a queda de torres de transmissão, como já aconteceu, causando prejuízo a toda sociedade", disse o diretor de Operação da Chesf, João Henrique Franklin.

 

Ele afirmou que mais de 20 toneladas de perfis metálicos de 120 estruturas já foram retirados pelos sabotadores, totalizando um prejuízo financeiro de mais de R$ 2 milhões.

As equipes da Chesf estão mobilizadas nesse trecho entre as cidades de Pentecoste e Fortaleza, num trabalho contínuo de reposição de peças e reforço das estruturas, além de ações permanentes de inspeções.

 

"Para derrubar uma torre com mais de 30 metros de altura é preciso retirar muito material de sua base. Estamos tornando mais difícil o furto, com fiscalização, vigilância e novos procedimentos de fixação dos equipamentos, porém mesmo com todas as nossas ações, até o momento, os atos de sabotagem continuam." afirmou.

 

"Nesse momento de escassez hídrica em que o Norte e Nordeste estão exportando energia para o Sudeste e Sul, uma queda de energia provocada por sabotagem e derrubada de torres no Ceará pode provocar desligamentos de grande porte, já que temos um sistema elétrico nacional interligado. Para que essa sabotagem se interrompa, é fundamental fortalecer o policiamento, investigação e haver a responsabilização das pessoas envolvidas", avaliou o diretor.