Sign In

Chesf realiza plantio de 60 mil mudas

Sustentabilidade Publicado em 29/04/2021

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) produziu mudas e realizou plantio de 60 mil plantas da vegetação da Caatinga, especificamente aquelas mais comuns na região do Piauí e Ceará, onde passa a linha de transmissão Picos (PI) /Tauá (CE), numa área de 75,1 hectares, em uma reserva ambiental e ao longo da linha de transmissão. O serviço foi concluído em abril. Entre as espécies estão Aroeira, Angico-de-Caroço, Imburana-de-cheiro, Imburana-de-Cambão, Catingueira, Juazeiro, Jucá, Mulungu, Braúna, Barriguda, Tamboril, Pau-ferro, Ipê-roxo, Canafístula, Jurema-branca, Mororó e Pereiro-Preto.

 

Os serviços de replantio foram executados por equipe contratada, sob a supervisão do engenheiro Agrônomo João Almir. Estiveram envolvidos no trabalho agrônomos, biólogos, florestais, com a missão de recuperar a área. Foi realizado estudo preliminar, que avaliou os tipos de plantas existentes na região por onde passa a linha de transmissão. Logo após, houve a correção dos processos erosivos, a produção de mudas e, por último, foi dado início ao replantio e monitoramento destas.


MicrosoftTeams-image (22).png

 

"Todas as espécies usadas para a revegetação são do bioma presente na área, a Caatinga. Coletamos as sementes e produzimos as mudas de espécies presentes na Estação Ecológica de Aiuaba-CE, do ICMBio. O objetivo principal é a revegetação e monitoramento da flora ao longo da linha de transmissão 230 kV Picos/Tauá", explicou João Almir.

 

Foram construídos viveiros, selecionadas as matrizes e inclusas espécies raras, vulneráveis ou ameaçadas de extinção, de importância ecológica também para a fauna silvestre. Para movimentar a economia na região onde as mudas foram produzidas, foi priorizada a mão de obra da própria cidade de Aiuaba, no Ceará.

 

"Além da revegetação efetiva das áreas, os trabalhos desenvolvidos apresentaram excelente índice de sobrevivência das mudas (superior a 85% em região semiárida), retorno da fauna e o desenvolvimento de novas técnicas para a germinação de espécies nativas", disse o engenheiro Agrônomo.