Sign In

Chesf lança PNG 2021-2025

Negócios Publicado em 11/01/2021

O ano de 2020 foi de desafios e exigiu invenção e  inovação. Neste momento, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco encontrou oportunidades de mudança, de reinvenção e enfrentamento das dificuldades com um espírito de transformação e superação. No final do mês de dezembro, foi aprovado o Plano de Negócio de Gestão - PNG 2021-2025 da Chesf, fundamentado nas diretrizes estratégicas do Grupo Eletrobras e no planejamento estratégico Chesf  2020-2035.


No PNG, ficaram definidas nove diretrizes estratégicas - Valor e Investimento; Eficiência de Geração e Transmissão; Expansão de Geração e Transmissão; Comercialização; Novos Negócios; Cultura e Pessoas; Governança; Gestão; e Inovação e Transformação Digital. A partir deste norte, a Chesf estabeleceu iniciativas e projetos estratégicos prioritários.


Na Eficiência de Geração e Transmissão, destaca-se a disponibilização de ativos de G&T com maximização de receita e a implantação de modelo de gestão integrada. No tocante à Expansão de G&T, o destaque vai para a implementação da utilização de processos BIM, em projetos de subestações com objetivo de reduzir os custos de implantação das obras de Transmissão.


Aprimoramento da atuação da Empresa no mercado de energia e redução do passivo judicial estão no norte da Comercialização e Governança da Companhia, enquanto que a área de Gestão da Casa, dentre outros, estará empenhada em aprimorar a modernização da gestão Sociopatrimonial e em realizar a Desoneração com o Sistema Itaparica. Além disso, o PNG da Chesf mira no tratamento analítico avançado de dados.


Com um trabalho de modernização do sistema elétrico e a busca constante pela melhoria no desempenho, a Chesf obteve resultados positivos, alcançando bons índices de desempenho operacional nos últimos anos. Os resultados obtidos de disponibilidade acima das metas estabelecidas evidenciam os investimentos da empresa na modernização das suas usinas e melhoria nos processos de operação e manutenção dos sistemas de transmissão, de modo a prestar um serviço cada vez melhor aos seus clientes e à sociedade.


"Para o quinquênio 2021-2025, um dos desafios da empresa é a ampliação da receita através da comercialização de energia, considerando a compra e a posterior revenda dessa energia no ambiente de contratação livre. Nesse contexto, a Chesf buscará no mercado as melhores oportunidades de negócio, dentro do risco admitido pela empresa, considerando as condições mercadológicas que assegurem o retorno esperado", salientou o Presidente Fábio Lopes.


A Chesf continua com a intenção de investir na geração de energia proveniente de fontes renováveis no curto prazo. Para os próximos anos estão previstos a retomada do parque eólico Casa Nova B (27 MW), a conclusão de 5 projetos de minigeração fotovoltaica em subestações da Chesf em cada estado do Nordeste (Programa Conta Zero) além do início da implantação do parque eólico Frei Damião I (110 MW) e dos parques solares Bom Nome (29,7 MW) e Lapa Solar I (100 MW), totalizando mais 278,05 MW de potência instalada. Além desses, mais projetos solares e eólicos estão planejados para avançar na expansão do parque de geração da empresa.


Foto: André Schuler