Sign In

Chesf é destaque em seminário da Fiepe

A Empresa Publicado em 26/10/2022

"Nosso Rio São Francisco, como símbolo do desenvolvimento do Nordeste, tem papel fundamental para o futuro da transformação energética, não apenas pela geração através de suas águas, mas pela importância basilar de seu insumo: a água". A fala é do presidente da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Fabio Alves, durante o VIII Seminário de Energia Elétrica e Recursos Hídricos, promovido no dia 25 de outubro pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PE), na Casa da Indústria, no Recife (PE). O dirigente destacou, ainda, a relevância do Velho Chico para a geração hidrelétrica para o Agreste pernambucano e para o Complexo Portuário de Suape.

 

O evento recebeu especialistas para debater temas como Hidrogênio Verde, Biometano, Transposição do Rio Francisco, entre outros. O presidente da Chesf participou do 2º Painel (Recursos Hídricos), abordando o projeto de integração do Velho Chico e a Adutora do Agreste, além do Complexo de Suape. "Esse rio que faz parte intrinsecamente da história da Chesf é um dos grandes responsáveis, graças à geração de energia e ao controle de suas águas através dos reservatórios no seu curso, pelo desenvolvimento do Nordeste brasileiro".

 

O 1º painel debateu energia elétrica, com palestras sobre Energia Nuclear, TecHub do Hidrogênio Verde e Biometano. Esta edição foi realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sebrae e Conselhos Temáticos de Infraestrutura e Meio Ambiente da Fiepe, contando com o apoio da Abinee, CTG Brasil, Chesf, Aben e Crea-PE.

 

De acordo com o presidente do Conselho Temático de Meio Ambiente (Contema) da Fiepe, Anísio Coelho, "nos últimos anos, novas tecnologias para geração de energia elétrica têm surgido no mercado para suprir diferentes demandas, como a de se utilizar fontes mais sustentáveis e renováveis que contribuam com o meio ambiente".

 

Ainda, segundo ele, essa busca parte tanto do lado dos consumidores, que estão se tornando mais conscientes do ponto de vista ecológico, quanto das empresas, que vêm se comprometendo com o bem estar do planeta e se alinhando às expectativas do público. "A garantia do fornecimento de energia limpa, com segurança, qualidade adequada e a custos módicos é imprescindível para assegurar a competitividade da indústria", garantiu. 

 

Anísio Coelho afirmou que "essa consciência também passa pelo uso dos recursos hídricos, de modo que as empresas e as pessoas estão buscando utilizá-los com mais eficiência. Por isso, promover esses encontros são importantes, afinal são neles que projetos são disseminados e até mesmo implementados".


Foto: André Schuler